IMG_LOGOS_JARDISSIMO_S_FUNDO_BLACK

A Importância do Design do Jardim Privado – Parte 1

ARQUITECTURA PAISAGISTA

Iniciamos hoje um novo percurso… partimos à descoberta por um novo trilho que certamente nos levará a um belo jardim. E vamos fazê-lo consigo.

Um jardim é uma extensão da sua casa e personalidade, uma ligação à natureza, um conforto para a alma, um espaço único.

Neste e nos próximos artigos, iremos redescobrir a essência de um jardim, a sua génese, as suas particularidades e partilhar referências inspiradoras para admiradores de plantas, amantes da natureza e jardineiros.

A “espinha dorsal” de um jardim

O que nos surge na mente quando pensamos num jardim? Cores, vegetação, sombras, frescura. É pela sua componente sensorial que os criamos. Mas para que essa parte visível se torne possível existe uma base estrutural, invisível aos olhos de quem dele usufrui, absolutamente determinante que não deve ser descurada. Na Jardissimo, consideramos que essa base é constituída, essencialmente, por 2 elementos: a terra vegetal e o sistema de irrigação. 

terra vegetal (não confundir com a que existe na natureza) é, genericamente, o elemento em maior abundância num jardim. Desempenha funções ao nível do suporte mecânico da vegetação que será aplicada, da absorção e retenção de água/ humidade e nutrientes, sendo também responsável por mediar as trocas gasosas entre o sistema radicular das plantas e o ar atmosférico. É nas proporções dos elementos que constituem esta terra que assenta a sua maior ou menor qualidade, o que determinará também a sua textura e pH. A terra vegetal para jardim deve ser leve e fácil de manobrar e possuir teores de matéria orgânica equilibrados, de forma a não tornar a mistura demasiado ácida ou básica – a esmagadora maioria dos nutrientes só estão disponíveis para as plantas num pH próximo do neutro (6,5 a 7,5). 

A escolha de uma terra vegetal de fraca qualidade, ou desequilibrada na sua composição pode ditar a morte de um jardim a médio/longo prazo.

sistema de irrigação/rega engloba todos os elementos que bombeiam, conduzem e controlam a água que chegará ao coberto vegetal. A sua complexidade é variável, mas a sua importância inquestionável: nenhum jardim sobrevive sem água, e esta, sendo um recurso finito, deve ser bem direcionada, racionada e utilizada de forma sustentável. Na Jardíssimo trabalhamos com sistemas de irrigação totalmente automatizados adaptáveis às estações do ano (e variações dentro destas). A eficiência da gestão dos recursos naturais está na ordem do dia, pelo que não prescindimos de trabalhar com a melhor tecnologia que nos auxilie nessa delicada tarefa.

Partilhar agora